Qual tamanho do seu medo.

Nenhum comentário
portrait-317041_1920
foto by pixabay.

Qual preço do seu sonho? Já parou pra pensar em tudo que deve ser feito para atingir o objetivo desejado? Percebe como isso pode ser assustador? Talvez ao invés de perguntar qual o preço do seu sonho, a pergunta “certa” seria, Qual tamanho do seu medo?

Pensar no que nos assusta pode ser verdadeiramente o que nos afastada de ser quem desejamos. De realizar aquela meta á tanto tempo desejada. Mas até onde isso é saudável e protege nosso subconsciente de uma decepção ou de tanta outras dores que temos hoje.


Quando penso no tamanho do meu medo eu vejo a decepção da minha esposa, dos meus pais, dos meus amigos e o inverso. A alegria de quem deseja meu fracasso. Olha como isso é bizarro, lembrar das pessoas que não querem ver você agindo de forma diferente, feliz e alegre.

Ter medo do fracasso é algo que todos sofrem, medo do ridículo, medo da exposição assusta qualquer um. A boa notícia é que todos fracassam, todos passam pelo ridículo e somos expostos a todo momento. E o que muda, é o que eu faço com isso e o que eu faço depois com isso.

A consciência de que estamos em um processo constante de evolução, desenvolvimento, amadurecimento. Autoconhecimento. Conhece a ti mesmo é a célebre frase na entrada do templo de Delfos. Olha que interessante, Delfos era um oráculo da Grécia Antiga e na porta de seu templo onde os homens buscavam orientações dizia, Conhece a ti mesmo, e conhecerá os deuses.

Veja como é profundo o exercício do autoconhecimento para alcançar todas as respostas que estão no mais distante do nosso íntimo. Como é belo pensar que eu, apenas eu sou responsável sobre meus medos, minhas conquistas e como eu lido com tudo isso.

O tamanho do meu medo é o mesmo tamanho da distância que me conheço. Praticar o autoconhecimento tem um princípio muito simples, consciência. A tomada de consciência é onde eu inicio a jornada interna para descobrir quem eu realmente sou e porque sou desta forma e a resposta para muitas dúvidas.

Está reflexão por muitas vezes é dolorosa por resgatar dores profundas que moldam o ser que hoje somos. E ao mesmo tempo que é difícil pensar nisso, é libertador reconhecer e ressignificar momentos incríveis e marcantes. Isto fortalece quem somos, motiva por recordar tudo que passamos e sermos este ser incrível que nos tornamos.

Consciência

O exercício de consciência é uma tarefa diária e constante para entender cada decisão que tomamos a compreender porque agimos daquela forma e qual o benefício que gerou. Além de ser um grande aliado a impulsividade que muitas vezes somos comedidos e em seguida gera um arrependimento mortal e palpável.

Com a tomada consciência é o autoconhecimento que desenvolvemos em seguida. No mesmo momento que tomamos ciência dos nossos pensamentos, atitudes praticamos o autoconhecimento. Reconhecer e analisar o porquê, praticar o autoconhecimento com propósito de  me desenvolver. Reconhecemos onde está nossa fraqueza, comportamentos e pensamentos que são degenerativos e não agregam valor algum.

Autoconhecimento é reconhecer quem eu sou, saber o que desejo e se tenho toda capacidade de subir o nível, aumentar a dificuldade para chegar onde desejo de forma consistente e congruente com quem eu sou.

Saber quem é, é não ser o outro, não viver papéis para se sentir parte do grupo, ou amado. Nos dias atuais o que mais vemos — pelo menos eu vejo muito, são pessoas presas a vida dos outros sem viver a própria vida. Desejando ser aquele, sem se conhecer profundamente para entender se essa é a minha vida ou a dele.

Quando eu me conheço, eu me desenvolvo. Eu aprendo novas habilidades e competências. Busco ferramentas e caminhos que vão me levar onde desejo como pessoa para que eu possa me sentir realizado. Autodesenvolvimento vem do princípio de que eu reconheço quem sou, onde estou e onde desejo estar. — Estado atual e estado desejado.

Desta maneira eu aprimoro minhas qualidades, eu desenvolvo minhas fraquezas para ser melhor do que eu fui ontem. Ser melhor pessoa, melhor profissional, melhor pai, melhor espos@, melhor filh@, melhor irmão. Eu me desenvolvo para ser melhor, para servir melhor e contribuir para uma sociedade que eu desejo como ideal.

Nessa caminhada, eu reconheço minha história, respeito meu caminho. Aceito quem eu sou todas as minhas dores e cicatrizes formaram este ser único e com uma grande história para ser contada, para servir de inspiração.

Eu pratico Autoaceitação, eu desenvolvo Autocura por saber que do mais profundo daqueles sabotadores, daquelas crenças limitantes eu sei que sou mais do isso. Posso ser quem eu desejar e aceitar o preço da minha jornada.

É duro e é real, somos nosso maior inimigo, nosso maior sabotador. Fomos moldados pelo tempo a viver em segurança, estabilidade e conforto. E onde estes três fatores nos levaram mais longe? Quando vivendo sobre este três pilares ultrapassamos barreiras ou, aquela pessoa que admiramos chegou lá praticando isso?

Vulnerabilidade, Brené Brown traz um TED Talk maravilhoso sobre a coragem de ser imperfeito. Aceitar que Sou Suficiente e aceitar a compaixão sobre nós mesmos e então levar ao próximo como forma mais pura e simples e evoluída do ser humano. Sem sentir culpa por ser suficiente. Culpa na pesquisa de Brené Brown significa “Uma forma de descarregar dor e desconforto”.

Dor por não aceitar quem sou e o desconforto de quem sou. Quando me culpo, faço por não me aceitar como sou, por não me sentir-se à vontade comigo mesmo. Um absurdo de falta de amor próprio e compaixão por não me conhecer e não respeitar quem eu sou. O centro da vulnerabilidade está a vergonha e o medo. Nossa luta por merecimento, mas parece também ser  a origem da alegria, da criatividade, do pertencimento e do amor — Como isso é lindo!

A coragem de ser imperfeito, é estar aberto a vulnerabilidade e aprender com ela, é aceitar ser Suficiente, ter a compaixão por nós mesmos e pelos outros. É estar conectado verdadeiramente com nossa essência e autenticidade, disposto a abandonar quem pensamos que deveríamos ser, a fim de sermos quem realmente somos.

Alimentado de todo esse processo, praticamos Autoestima. Estima significa admiração e respeito que se sente por alguém, advindos do reconhecimento de seu valor moral, profissional etc”. imagine a prática da autoestima, em suma admirar quem somos, respeitar quem somos, reconhecer nosso valor.

Quando praticamos este sétimo ponto da capacidade humana de ter autoestima por quem somos chegamos ao que costumo chamar de consciência plena. Reconhecer minha história, minha capacidade, meu valor e aceitar com orgulho pela minha jornada.

Em um mundo atual de constante busca por propósito, valores e missão muitas vezes esquecemos que toda resposta está dentro de nós. E quando eu não me conheço, não estou conectado comigo mesmo, não aceito minha história, não adianta procurar fora qual é o propósito de vida.

Por isso, a pergunta mais importante que fica é: “Qual tamanho do seu medo?”

vacations-1354563_1920

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s